Categoria: Geral Data: 22/11/2018

Protestos marcam 1ª audiência de motorista que provocou a morte de duas pessoas em Londrina

 

A justiça fez ontem (21), a primeira audiência do acidente que matou duas pessoas na avenida Dez de Dezembro de Londrina, no dia 01 de maio deste ano. Familiares, ainda abalados com a tragédia, protestaram por justiça para a acusada que provocou a colisão.

O carro dirigido por D.C.F, de 37 anos, trafegava em alta velocidade e ao avançar o sinal vermelho chocou-se violentamente com a motocicleta onde estavam J. G. C., de 26 anos, e E. S. O., de 42 anos, no cruzamento com a Avenida Guilherme de Almeida. Os dois morreram na hora.

A acusada fez o teste do etilômetro (bafômetro), que apontou que a mesma estava embriagada. Ademais, segundo um laudo do Instituto de Criminalística, as vítimas que estavam na moto foram jogadas a 35 e 39 metros de distância, após serem atingidas pelo carro, que estava a 82 km/h. A velocidade máxima permitida no local é de 60 km/h, de acordo com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU)

O trágico caso não pode ser tratado e visto com descaso, já que o número de mortes causadas por acidentes de trânsito no Brasil é alarmante, figurando, nosso país, segundo a Organização Mundial de Saúde, como um dos recordistas mundiais

Para o Assistente de Acusação, Mário Barbosa, a acusada deve ir à Júri Popular, por assumir o risco de matar: “soma-se o fator embriaguez ao excesso de velocidade e avanço de sinal vermelho, as vítimas estavam paradas esperando o sinal abrir, e veio ela, infelizmente, da maneira como todos sabem e literalmente passou por cima deles.” – afirmou Barbosa.

Veja mais: